clothing ... part 1 Picture

Mamangava, mangangá, mangava, muganga, munganga, marimbondo-mangangá ou ainda vespa-de-rodeio, são os vários nomes de um tipo de inseto no Brasil, os abelhões do gênero Bombus, que por seu tamanho e forma é às vezes chamado ainda de Besouro Mangangá. Este inseto é temido por sua picada, e este é o provavelmente o real motivo pelo qual Manoel Henrique Pereira escolheu este nome, mas para o filme “Besouro, da Capoeira nasce um herói” baseado no livro “Feijoada no Paraíso” (ambos em torno da figura do Besouro Mangangá) foi criada uma “mitologia” usando a imagem de um grande besouro negro como um arquétipo de superação. No filme, após ouvir as queixas de seu aluno sobre suas próprias e supostas limitações, o mestre lhe aponta um besouro, o qual se dizia que não deveria ser capaz de voar, mas que voava apesar de tudo. Então o garoto escolhe o nome de Besouro, e diz que quando crescer também vai “voar”. Histórias contadas sobre o Besouro Mangangá, evidentemente exageradas, lhe conferiam a habilidade de se transformar em um besouro e voar, como forma de explicar a capacidade dele se safar de situações difíceis. Meu personagem não se transforma e nem voa, apenas salta entre os prédios.
Optei por seguir a “mitologia” do filme, usando a imagem de um besouro, e não de uma abelha. Para o símbolo pesquisei varias imagens de besouros como logotipos, tatuagens e até jóias. Acabei ficando com essa imagem, parecida com uma tatuagem tribal ou pintura de guerra numa estampa metalizada frente e verso sobre fundo preto, com as pernas se fundindo e se ligando as listras da calça.

Mamangava (bumblebee), mangangá, mangava, muganga, munganga, hornet- bumblebee or wasp-of-dodge, are the various names of a type of insect in Brazil, bumblebees of the genus Bombus, which in size and shape is sometimes still called the Besouro Mangangá (Beetle Bumblebee). This insect is feared because its bite, and this is probably the real reason why Manoel Henrique Pereira chose this name, but for the movie " Besouro, da Capoeira nasce um herói” (Beetle, from Capoeira is born a hero), based on the book " Feijoada no Paraíso” (both around figure of the Besouro Mangangá) was created a "mythology" using the image of a large black beetle as an archetype of transcendence. In the film, after hearing complaints from your students about their own limitations and alleged, the teacher shows him a beetle, which they said should not be able to fly, but flying nonetheless. Then the boy chooses the name Beetle, and says that when he grows up will also "fly". Stories about the Besouro Mangangá, evidently exaggerated, gave it the ability to transform into a beetle and fly as a way of explaining his ability to get away from difficult situations. My character can not change shape and do not fly, just jump between buildings.
I chose to follow the "mythology" of the movie, using the image of a beetle, not a bee. For the symbol researched several pictures of beetles such as logos, tattoos and even jewelry. I ended up with that image, like a tribal war paint or a metal-sided print on black, with legs merging and linking the stripes of the pants
Continue Reading: Hero