I gave you my heart-remastered Picture

Este desenho pode ser interpretado de varias formas e maneiras, dependendo de quem o vê, da pessoa que o olha.
Pois cada um tem uma forma diferente de ver o amor, de o sentir, de o interpretar. o que é pois o amor?
Para uns será acordar com alguém a seu lado e abraçar o seu sorriso, para outros é dar a mão e percorrerem juntos o caminho da vida, para outros ainda será algo inexplicável, que não cabe dentro de si, para alguns ainda, será tudo isto e muito mais.
O que é em todos comum, é que o amor nunca é fácil, é um percurso difícil repleto de obstáculos, e nem sempre o caminho mais fácil, é o caminho da felicidade.
É talvez o meu desenho com maior carga simbólica, que passo a explicar na minha interpretação pessoal, que ira variar de pessoa para pessoa, por isso desde já aviso para não lerem isto antes de terem uma opinião bem formada acerca do mesmo.

Existem duas saídas possíveis, pelo tronco de árvore, ou pela ponte. A ponte simboliza o caminho mais fácil, acessível, de fácil percurso e acesso, no entanto, esta está quebrada quando está prestes a alcançar a saída ( aqui surge a forma de uma boca com dois olhos na sua lateral, e ao seu lado direito no olho maior, a cabeça de uma águia e ao mesmo tempo de cobra), pois o caminho mais fácil por vezes no sei final, é a pior escolha.
Esse caminho culmina com uma figura de grandes proporções que se assemelha em muito a uma das estátuas da ilha da ' Páscoa ', que olha curiosamente para tudo o que se passa, simboliza o destino, que brinca com os acontecimentos.
A outra saída, pelo tronco da arvore é a mais difícil, não tem nenhum acesso aparente, no entanto a luz jorra do seu exterior, e embora não aparente ter nenhum acesso, o coração que está no cimo da torre liberta os seus vasos para o exterior, criando pontes, e acessos, tanto para si, como para a pessoa que ama, segurando na ponte ao fundo. Porque a escolha da arvore? Porque a arvore simboliza a vida, o crescimento em algo novo e maior e que dá vida a todas as coisas.
As sombras estão orientadas maioritariamente pela influencia da abertura maior, onde se situa a figura mitológica, no entanto apenas uma não está com a mesma orientação, é a sombra do homem que tenta alcançar o que pretende, o seu amor, a sua mão quebra os limites do possível e procura alcança-la. a sua sombra foge em direcção á torre, e vai de encontro ao seu coração. Portanto está tudo ligado, tudo faz parte de um todo inseparável, tal como cada consequência dos nossos actos, nada vive por si só.
a segunda torre simboliza apenas o medo de percorrer o caminho, a dor, o sofrimento, aquilo que nos torna humanos, o receio, que sem ele nada teria interesse, porque sem sacrifício, não existe vitoria.
á volta da figura feminina surge uma espécie de nevoeiro e fumo, que percorre as duas saídas possíveis, mas que no entanto não a consegue envolver, porque ela está repleta de luz.
Existem outras subtilezas, mas não as vou dizer, pois deixo para a vossa imaginação, porque o desenho deste carácter não nos deve prender, deve antes, soltar-nos.
Para o nosso pró
Continue Reading: Figures